Te Ra’ai Restaurant – Ilha de Páscoa

Estive na Ilha de Páscoa no ano de 2008 com uma pacote montado pela Venturas & Aventuras e fiquei bastante surpreso – não com os mistérios da ilha como imaginava antes da viagem – mas por acontecimentos simples que tornaram a viagem bastante agradável.

A minha estadia na Ilha de Páscoa foi no Vai Moana, que é simples, mas bastante agradável – você pode ver o endereço dele e de outras pousadas da ilha, na nossa página sobre a Ilha de Páscoa. Na época não cheguei a ver os preços das pousadas pois a hospedagem já estava incluída no pacote de viagem da Venturas & Aventuras – que por sinal tem um excelente atendimento e a organização deles permitiu que durante a viagem corresse tudo bem.

As coisas não são muito baratas lá porque tudo que eles tem chega de avião e isso acaba fazendo também com que a comida não tenha muita variedade (salada é um item raro) e eu achei meio caro: a pousada tinha um restaurante e a refeição (almoço ou janta) custava 25 dólares por pessoa – sem direito a escolher a comida (mas era boa, valeu a pena). Já na maioria dos restaurante do centrinho da ilha a comida não era muito boa e a limpeza não está no topo das prioridades.

Te Ra’ai Restaurant

O motivo desse texto é exatamente por uma das surpresas da viagem: o Te Ra’ai Restaurant Etnico Rapa Nui. O Te Ra’ai é de um nativo Rapa Nui e de sua esposa – uma brasileira (por sinal existiam na época 3 brasileiros morando na ilha).

Em dois dias da semana o Te Ra’ai faz uma representação da cultura Rapa Nui no teatro do restaurante e é simplesmente imperdível. Eles fazem o show e na seqüência os turistas são brindados com um jantar com a comida feita como os antigos habitantes da ilha faziam: envolvida em folhas de bananeira e enterradas por cima de pedras em brasa. Foi a melhor comida que eu encontrei na ilha.

te raai restaurant

Publicado em 22/09/2011.
Compartilhar:


Sobre o Autor

Dudu Tomaselli gosta de gastar pouco para conhecer lugares legais. Prefere locais isolados e bem preservados, onde seja possível fazer trilhas sem correr o risco de perder a cabeça, mas não tem medo de cidade grande.


•••